Observatorio Metodologia

De Wiki REDDES

Este documento visa apresentar a Metodologia para o Desenvolvimento da Função Observatório na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), como se dá o seu funcionamento, como iniciar um projeto com este objetivo e quais os objetivos esperados.


Tabla de contenidos

Metodologia para o desenvolvimento da função Observatório na BVS

Este documento visa apresentar a Metodologia de Observatório em saúde como função na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), como se dá o seu funcionamento, como iniciar um projeto com este objetivo e quais os objetivos esperados.

Introdução

Um observatório nacional de saúde (referido como "Observatório" neste documento) é entendido operacionalmente como un centro nacional de base virtual, orientado para políticas, que tem o propósito de realizar observação integral e informar em forma sistemática e contínua sobre aspectos relevantes da saúde da população e dos sistemas de saúde, para apoiar – de um modo eficaz e baseado em evidência – o desenvolvimento de políticas e planos, a tomada de decições e as ações em saúde pública e em sistemas de saúde. O objetivo é contribuir com a preservação e o melhoramento da saúde da população, o que incluie a redução de desigualdades.

Objetivo Geral

O objetivo do Observatório é favorecer a integração de uma rede de participantes e sistemas específicos para compartilhar informação e métodos existentes em sistemas de informação, vigilância e monitoramento. Isso inclui a contribuição integrada – em rede funcional - de diversas equipes profissionais que trabalham na produção de informação, em processos de monitoramento e vigilância, e na elaboração de perfis de saúde e de sistemas nacionais de saúde.

Através dessa rede informativa integrada, busca-se obter insumos-chave para elaboração de cenários e informes que contenham: descrição geral (panorama), que seja significativo e integral, evidência, que seja relevante, rigorosa e pertinente a nível nacional e/ou regional, e que em seu conteúdo inclua aspectos dinâmicos como variações, tendências, situações (cenários) atuais e projetados, análises quantitativas e no contexto, conclusões e recomendações orientadas ao desenvolvimento de políticas.

Objetivos Específicos

  • Realizar observação relacionada com saúde de forma sistemática, contínua e integrada e reportar dados, informação e situação atualizada de saúde, baseado em temas-chave pré-selecionados que sejam relevantes para as políticas e tomada de decisões em saúde e em sistemas de saúde. Isso inclui o desenvolvimento de perfis nacionais e/ou regionais atualizados e comparáveis;
  • Realizar vigilância integral de saúde pública, usando conteúdos e funções de um sistema de vigilância de saúde já existente, ou realizando essas funções mesmo na ausência de sistemas nacionais de vigilância;
  • Realizar monitoramento integrado dos sistemas de saúde, seja através da integração e uso de conteúdo e funções de um sistema de monitoramento já existente, ou cumprindo essa função mesmo na ausência de sistemas nacionais de monitoramento eficazes;
  • Prover análise descritiva, estatística e contextual orientada a políticas, como parte de notificação rotineira e também segundo solicitações específicas de quem formula políticas, tomadores de decisão e gerentes de alto nível;
  • Prover prognósticos orientados à políticas, baseados em tendências, análises de situação e desenvolvimento de cenários atuais e projetados, em apoio à formulação de políticas e a tomada de decisões;
  • Prover assessoria para orientar o desenvolvimento de políticas e tomada de decisões, segundo solicitações específicas de tomadores de decisão e gerentes de nível nacional e/ou regional. Isso pode incluir apoio ao aumento de capacidade nacional e/ou regional, incluindo a elaboração de guias, métodos, técnicas e/ou capacitação;
  • Prover o gerenciamento e distribuição de informação e conhecimento adaptado aos usuários primários (quem desenvolve políticas e toma decisões) e aos usuários secundários relevantes (segundo prioridades e possibilidades).

Resultados esperados

O Observatório integra (mas não substitui) os resultados ou as funções dos sistemas de informação, monitoramento e vigilância (como a vigilância epidemiológica e de saúde pública, salas de situação de saúde, análises do setor saúde, monitoramento e avaliação de sistemas e serviços de saúde). A integração de conteúdos e funções desses sistemas permite ao Observatório produzir uma visão panorâmica de um modo integral, coerente e sólido.


Os resultados esperados com o desenvolvimento do Observatório são:

  • Uma ferramenta nacional e integrada de gestão para apoiar o trabalho dos encarregados de políticas e de tomada de decisão de alto nível em saúde pública e sistemas de saúde;
  • Disponibilidade de uma visão panorâmica sistemática nacional e/ou regional de saúde (incluindo componentes descritivos, analíticos e interpretativos) que possa ser integral, abarcando simultaneamente a situação de saúde, os fatores determinantes de influência sobre a implementação de observatórios nacionais e/ou regionais de saúde e a função de sistemas de saúde, que inclui informação sobre diferentes setores;
  • Disponibilizar informação e informe de visão panorâmica que sejam adaptados a cultura e necessidade de informação específica dos formadores de políticas e tomadores de decisão, o que facilita uma melhor análise e uso da informação por parte deles;
  • Desenvolver uma cultura de gestão de busca e uso da informação desde múltiplas fontes para finalidades de políticas e tomada de decisão. Os gerentes que recebem e usam informação fornecida pelo Observatório tem probabilidade de motivar-se a buscar ainda mais informação e aumentar sua utilidade, o que facilita um melhor uso do Observatório e uma melhor capacidade de resposta;
  • Capacidade nacional/regional de cumprir com as funções do Observatório desenvolvida de forma gradual, através da implementação progressiva dos módulos e funções do Observatório, segundo as prioridades e capacidades nacionais/regionais de implementação;
  • Observatório poderia converter-se em um módulo pioneiro, de desenvolvimento social e um centro de capacitação, em vista de o setor da saúde ser um componente de amplo setor social em um país.

Metodologia de implantação e macro-atividades

Para que o projeto de Observatório na BVS seja bem sucedido, os itens a seguir facilitarão a implantação e o delineamento das macroatividades envolvidas no projeto.

Metodologia de Implantação

Baseada em sua capacidade e funções, o Observatório pode funcionar simultaneamente como um centro de:

  • Vigilância de saúde pública;
  • Monitoramento de sistemas de saúde;
  • Análise especializada sobre aspectos relacionados com políticas de saúde;
  • Alerta em saúde;
  • Assessoria orientada à políticas;
  • Produção e administração de informação e evidências em Saúde a nível nacional e/ou regional.

Macroatividades

O Observatório necessita de uma plataforma tecnológica que possa ser apoiada por uma instituição de base que aportam insumos ou serviços ao centro de administração e coordenação do Observatório. Através de Internet, os participantes principais podem estabelecer uma rede funcional ampla para apoiar a integração efetiva do Observatório.

Estabelecimento da rede de participantes e do centro de gestão e de coordenação

Prevê o desenvolvimento de uma rede de pessoas e múltiplas entidades relacionadas com o Observatório para intercâmbio de informação. Considerando a formação de uma equipe central (Secretaria Executiva) para coordenar e administrar o Observatório. Prevê ainda a formação de um comitê editorial para avaliar a qualidade dos informes produzidos e aprovar o que deverá ser difundido no Portal do Observatório em termos de veracidade e correção política.

Essa equipe deverá ser formada por profissionais que sejam capazes de conduzir e coordenar o projeto de implementação do Observatório, conduzir a equipe de gestão e coordenar com as demais instituições, coordenar a preparação do Observatório, coordenar a interação dos participantes assim como com as fontes e usuários de informação, coordenar a operação, monitoramento e avaliação do Observatório, coordenar os relatórios e a difusão da informação.

Desenvolvimento do portal do Observatório

Prevê o desenvolvimento de uma plataforma de informação e de comunicação para assegurar a produção da informação e a comunicação da rede. O desenvolvimento do Portal do Observatório, visa ser uma janela para os usuários do Observatório e o público geral, ainda que algumas informações estejam disponíveis com acesso restrito somente aos tomadores de decisões e/ou autoridades. O portal deverá ainda fornecer link para os sites das entidades participantes do Observatório.

A informação disponível no portal deverá além de ser aprovada pelo comitê editorial:

  • Ser aceita pelas autoridades políticas e de saúde como válida, objetiva e cientificamente sólida;
  • Útil para a política e a ação;
  • Relevante para os planos, projetos e programas nacionais de saúde;
  • Válida, coerente, confiável e representativa;
  • Integral e Ética


Capacitação para manutenção do Portal e funções do Observatório

Prevê a capacitação para instalação, uso e manutenção do Portal do Observatório considerando seus recursos e serviços de comunicação. A capacitação se dará segundo a necessidade e deverá considerar as funções do Observatório (coleção e processamento de informação, análise, seguimento e vigilância).


As áreas de capacitação podem incluir:

  • Pesquisa bibliográfica nas fontes de informação selecionadas;
  • Administração do software de informação selecionado;
  • Tomada de decisão baseada em evidências;
  • Função de sistemas de informação nacionais e específicos;
  • Função e processos específicos dos sistemas de saúde e dos processos;
  • Função de análises e a planificação para a tomada de decisão;
  • Sistemas de vigilância, monitoramento e avaliação;
  • Desenvolvimento e uso de perfis do sistema de saúde.

A capacitação também poderá incluir a gestores e tomadores de decisão já que serão usuários primários do Observatório.


As estratégias de capacitação e as atividades poderiam incluir:

  • Capacitação de gestores e tomadores de decisão para a análise da informação pertinente, para apoiar a tomada de decisão.
  • Capacitação para uso do Portal para melhor análise e avaliação da informação.
  • Introdução ao desenvolvimento de métodos estadísticos e epidemiológicos, a usar-se em análise nas iniquidades em saúde e acesso a atenção de saúde e seus fatores determinantes. Isto inclui apresentação gráfica, analítica e sintética.
  • Capacitação aos gestores para compreender os sistemas e serviços de saúde, e a função do Observatório para a tomada de decisão e a ação.
  • Promoção do uso de sistemas de informação geográfica (SIG), assim como de métodos de análise rápidos para avaliação de situações epidemiológicas em general, como o uso de questionários para avaliar as necessidades de saúde, entre outros.


Estabelecimento das funções e módulos do Observatório

A função do Observatório deverá ser iniciada por módulos selecionados previamente. A decisão de quais módulos começar, a sua continuidade e definição de outros módulos, dependerá da preparação, decisão, interesse e as possibilidades nacionais.

Entre os módulos possíveis para ser desenvolvidos, segundo os sistemas de informação específicos existentes assim como os sistemas de seguimento e vigilância, destacam:

  • Vigilância de condições de saúde da população e sistemas de vigilância epidemiológicos
  • Monitoramento de sistemas e serviços de saúde
  • Análise especializada sobre aspectos relacionados com políticas de saúde;
  • Alertas em saúde;
  • Assessoria orientada a políticas;
  • Produção e administração de informação e evidências em Saúde a nível nacional e/ou regional.


Produção e distribuição de informes, informação e conhecimento

O gerenciamento da informação e a distribuição de informes para a geração de conhecimento deverá ocorrer através de meios impressos e eletrônicos. Para ser eficaz, o informe e a difusão de informação a diferentes usuários deve ser realizada de uma maneira que possa ser compreendida adequadamente e usada pelos diferentes tipos de usuários.

As estratégias e as atividades que poderão contribuir para melhorar a difusão e o intercambio de informação produzida são:

  • Desenvolvimento de um mecanismo formal para intercambiar informação entre as instituições;
  • Capacitação para o desenvolvimento de informes e apresentação de informação e relatórios;
  • Promoção do uso de Bibliotecas Virtuais em Saúde, que possuam informes eletrônicos e bases de dados básicos;
  • Aplicação de técnicas e programas de computação para a edição e publicação de dados e informação, tanto impresso quanto virtual;
  • Gerenciamento de informação e conhecimento com enfoques de intercâmbio de informação por meio de ferramentas eletrônicas;
  • Promoção da cooperação entre gestores de sistemas e serviços de saúde, como potenciais usuários de informação específica para a tomada de decisão, e responsáveis pelo planejamento, gestão e produção de informação.

Estrutura analítica do projeto

O desenvolvimento, implementação, acompanhamento e avaliação do projeto se darão por meio da seguinte estrutura analítica do projeto:


INSERIR IMAGEM!!!

Cronograma básico de atividades

A elaboração detalhada do cronograma de atividades será realizada no primeiro mês de implantação do projeto, em conjunto pela BIREME/OPAS/OMS. O cronograma deverá assegurar o cumprimento dos resultados esperados em cada uma das linhas de ação, considerando 12 meses para implantação total do projeto.

Premissas

Para assegurar uma exitosa implementação, sugere-se que o Observatório tenha um desenvolvimento gradual (segundo as necessidades e prioridades nacionais). Por isso, é recomendado a implementação por módulos baseados em sistemas já implementados e que funcionam eficazmente (como alguns sistemas de monitoramento e vigilância ou observatórios específicos). O desenvolvimento desse projeto considera as seguintes premissas:

  •  ?????
  •  ?????
  •  ?????

5 Orçamento

Cada projeto de Observatório deverá conter um orçamento para especificação dos recursos necessários para implantação do mesmo.

6 Acompanhamento, informes e avaliação

As atividades terão acompanhamento periódico. Ao final do 12º mês será apresentado um informe final das atividades desenvolvidas.

Herramientas personales